Villa Mandarine


O Hotel

Abandonamos o rebuliço da ordenada cidade de Rabat para submergirmos num jardim de citrinos. As árvores embelezam a paisagem que se avista de cada quarto, característica deste hotel único e, sem dúvida, um dos favoritos da cidade. A família Claudy Imbert, de origem francesa e com tradição neste lugar, dirige o estabelecimento, que oferece para além do mais, um restaurante de referência, um dos melhores de Marrocos. O edifício é construído num piso só, à exceção da zona de alojamento, em redor do pátio árabe, que tem dois pisos. Os quartos estão distribuídos à volta do pátio e têm uma varanda virada para o jardim ou um terraço privado, e as suites estão viradas a Sul. O pátio árabe é um jardim com uma fonte cantante. O dia começa de um modo diferente ao abrir a porta e descobrir este jardim interior de palmeiras, bananeiras, palmitos e pardais alegrando a manhã. O hotel oferece um bar de ambiente africano e uma grande sala biblioteca com lareira e vista para o jardim.


Acessibilidade

O hotel não tem barreiras arquitetónicas e quase toda a sua superfície é térrea. O acesso aos quartos é feito através de portas automáticas. Dispõe de sinalética em braille e de relevo em vinil transparente nos quartos preparados para pessoas invisuais ou de baixa capacidade de visão. Os quartos são grandes, 36 m2, e a partir de 2013 disporá de casa de banho adaptada a pessoas em cadeira de rodas.


O que fazer?

 Atividades

No hotel, passeios pelo jardim, piscina exterior e piscina climatizada e campo de ténis. Mesa de ping-pong, um campo para jogar petanca (jogo tradicional provençal que consiste no lançamento de bolas); Hammam (banho turco) e massagens; salão de bilhar americano; surf nas praias da cidade; equitação e três campos de golfe a dez minutos do hotel. Visita a Rabat, Casablanca e Meknés, a uma hora, ou visita a Fés, a hora e meia de viagem de carro ou comboio.

 Lugares para Visitar

Em Rabat, a Torre Hassan e o Mausuléu de Mohamed V, a Kasbah dos Ouddayas, e medina. Passeios a Casablanca, Fés e Meknés (de carro ou comboio). Na kasbah, não deixe de tomar um chá de menta com os biscoitos tradicionais no Café Moro enquanto, desde a encosta, contempla a ria que separa as cidades de Rabat e Salé.

 Livros

- La Kasbah des Oudayas de Rabat. Um livro de um formato apropriado com fotografia de Hélène DECUYPER e texto em prosa do escritor belga Patrick LOWIE. 15€
- Rabat Comment je suis devenue capitale. Obra do arquiteto Xavier Couplet, propõe 14 rotas ilustradas pela cidade. 16€
- Les Villes Impériales du Maroc. De Mohamed Métalsi, com fotos de Cécile Tréal e Jean-Michel Ruiz. 25€

Recomendamos também os livros publicados pelo médico francês Robert Chastel, erudito na história de Rabat.


Gastronomia

 Cozinha

Internacional criativa, pelas mãos do chef Sylvain Brucato, que junta o seu cuscuz ao menu às sextas. É considerado um dos melhores restaurantes de Marrocos. A sala abre-se para o terraço e para o jardim, onde pode ser servido o pequeno-almoço, um verdadeiro privilégio, com a eventual visita dos pavões reais. Preço médio sem bebidas, 240 dh ao almoço e 350 dh ao jantar.

 Os Produtos Típicos

Na medina ou no Centro Artesanal de Salé, as carpetes, o artesanato de metal, a cerâmica de Fes, as preciosas toalhas de algodão. Doçaria tradicional típica marroquina. Em Rabat encontrará preços melhores que em outras cidades por haver menos grupos de turistas.


Instruções 


Galeria